Cronologia Básica de Santo António Maria Claret

1807: Nasce em Salhent (Barcelona, Espanha), no seio de uma família de tecelões, profundamente religiosa. É o quinto de 11 irmãos.

1819: Sente a vocação sacerdotal, aos 11 anos, mas não pode entrar no seminário. Começa a trabalhar na fábrica têxtil da família.

1825: Segue para Barcelona, aos 18 anos, a fim de se especializar na arte têxtil. Estuda no instituto da Lonja e trabalha, simultaneamente, numa oficina de tecelagem.

1829: Entra no Seminário de Vic. Desiste da ideia de se tornar monge cartuxo.

1835: É ordenado em Solsona (Lérida). Fica colocado na sua paróquia natal, primeiro como vigário e, depois, como administrador (pároco).

1839: Viaja para Roma, a fim de se oferecer, como voluntário, para a missão universal. Tenta apresentar-se à Propaganda Fide, mas não consegue o seu objetivo. Ingressa, a seguir, no noviciado da Companhia de Jesus.

1840: Regressa a Espanha. É colocado na paróquia de Viladrau (Barcelona). Dá início às missões populares.

1841: Transfere-se para a cidade de Vic, a partir da qual prega missões por toda a Catalunha. Recebe da Santa Sé o título de Missionário Apostólico.

1843: Redige o devocionário Caminho reto e seguro para chegar ao céu (Caminho reto), a sua primeira publicação e o livro religioso mais lido, no século XIX, em toda a Espanha.

1848: Parte para as Ilhas Canárias, onde prega, durante mais de um ano. Com o P. José Caixal, funda, em Barcelona, a Livraria Religiosa. Escreve o livrito Religiosas em suas casas, gérmen do Instituto secular Filiação Cordimariana.

1849: Após o regresso à Península Ibérica, funda, a 16 de julho, a Congregação dos Filhos do Imaculado Coração de Maria (Missionários Claretianos).

1850: É consagrado arcebispo de Santiago de Cuba, onde permanecerá quase sete anos.

1855: Com a madre Maria Antónia Paris, funda a Congregação das Religiosas de Maria Imaculada para o Ensino (Missionárias Claretianas).

1856: Sofre, a 1 de fevereiro, um grave atentado, em Holguin (Cuba).

1857: A Rainha Isabel II chama-o a Madrid e nomeia-o seu confessor. Viaja, então, por toda a Espanha, pregando ao povo, aos sacerdotes e às religiosas. Escreve numerosos livros.

1858: Funda a Academia de São Miguel, associação apostólica laical, que procura evangelizar a cultura.

1859: É nomeado por Isabel II, Presidente do Real Mosteiro do Escorial, onde erige um colégio, um seminário, uma universidade e uma sociedade de capelães.

1861: Recebe, a 26 de agosto, na igreja do Rosário da Granja (Segóvia), a grande graça da conservação das espécies sacramentais.

1862: Inicia a redação da Autobiografia.

1864: Funda as Bibliotecas populares e paroquiais, cujo livro fundacional constitui o gérmen do movimento dos Leigos Claretianos.

1868: Parte para o exílio, em França, acompanhando a rainha Isabel II. Atende os emigrantes e funda uma associação em benefício dos mais pobres.

1869: Chega a Roma, para participar no Concílio Vaticano I.

1870: Segue para Prades (França), a fim de se juntar aos seus irmãos que estão também exilados; porém, é obrigado a refugiar-se no mosteiro cisterciense de Fontfroide, onde vem a falecer, a 24 de outubro.

1897: Os seus restos mortais são trasladados para a Casa Mãe de Vic.

1934: É beatificado por Pio XI, a 25 de fevereiro.

1950: A 7 de maio, é canonizado por Pio XII.

Pin It on Pinterest

Share This