JOAO BATISTA MEGALE

JOAO BATISTA MEGALE

Nasceu no dia 04 de outubro de 1934, na cidade de Borda da Mata, Arquidiocese de Pouso Alegre, Estado de Minas Gerais, Brasil. Filho de Vicente Megale e Maria Bernadete Megale. Batizado no dia 14 de outubro de 1934, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Borda da Mata.

Ingressou, dia 03 de março de 1946, no Seminário Claret, Província do Brasil, na cidade de Rio Claro, São Paulo. Iniciou o Noviciado em 01 de fevereiro de 1951, Guarulhos, São Paulo, e, nesta mesma cidade, emitiu a Primeira Profissão  em 02 de fevereiro de 1952, sendo provincial Pe. Mariano Frias. As renovações da Profissão Religiosa, em 1953 e 1954, foram emitidas em Guarulhos, sendo provincial Pe. Mariano Frias. Na renovação dos votos, em 1955, em Guarulhos, era provincial Pe. João de Castro Engler, da Província Meridional do Brasil, dada a divisão, no ano de 1954, em duas províncias: Província Meridional do Brasil e Vice-Província Brasil Central (provincial Pe. Crescêncio Iruarrízaga). Professou perpetuamente na Congregação em 02 de fevereiro de 1956, em Curitiba — PR. Recebeu os Ministérios de Acolitado em 29 de junho de 1958 e o de Leitorado em 22 de março de 1958, em Curitiba — PR; o Diaconato em 02 de abril de 1960, e a Ordenação Presbiteral, em 11 de junho de 1960, ambos em Curitiba — PR, pelo bispo Dom Manuel da Silveira D’Elboux.

Cursou Filosofia, também em Guarulhos, de 1952 a 1954; de 1956 a 1960, estudou Teologia no Studium Theologicum, em Curitiba, Paraná. Doutorou-se em Teologia Dogmática no Angelicum, em Roma, nos anos de 1960 a 1962 (outubro 1960-1961 residindo no Claretianum e outubro 1961-1962, na Cúria Geral); de 1963 a 1964, estudou Teologia Pastoral, no Instituto Católico de Paris; neste período, estudou língua e literatura francesa, na Universidade de Nancy, França. Neste período, exerceu a Pastoral junto aos emigrantes portugueses e num hospital-residência de crianças e adolescentes paraplégicos, morando na Comunidade Claretiana da Missão Portuguesa e, em parte, na casa-hospital de paraplégicos. E em 1976, na Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João Del Rey, MG, revalidou os estudos de Filosofia do Seminário e Currículo de Licenciatura em Filosofia.

De 1965 a 1967, foi Formador de filósofos e teólogos e Professor de teologia e de pastoral, no Megale cMFka Studium Thologicum, em Curitiba — PR. Em Belo Horizonte, MG, foi Pároco durante os períodos de 1968 a 1979 e de 1989 a 2000. Conselheiro Provincial nos anos de 1969 a 1977 e Superior Provincial nos períodos de 1977 a 1979 e de 1986 a 1997, várias vezes seguidas em gestões trienais; Conselheiro Geral e Prefeito Geral de Apostolado, de 1979 a 1985, residindo em Roma; sendo reeleito, para a mesma função, renunciou pouco depois por problemas de saúde.

De 2001 a 2007, integrando a comunidade-noviciado de Contagem, MG, exerceu a função de vigário paroquial da Paróquia Santo António Maria Claret; ajudou na formação dos noviços, com aulas de mariologia e vida do Fundador. Neste tempo, viveu um ano de residência fora da comunidade de Contagem, por razão de saúde, mantendo presença e participação na vida comunitária de Contagem; um segundo ano de ausência da comunidade, viveu em Belo Horizonte, celebrando na Catedral da Boa Viagem com pregação da Palavra e dedicando quatro horas semanais ao atendimento das confissões; exerceu também, na Arquidiocese, a função de Assessor Especial da Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade (Centro) e a de Revisor de Textos, Censor Arquidiocesano (para o Nihil Obstat ut Imprimatur).

Em 2004, foi eleito membro da Academia Mineira de Letras, cadeira 26 — Poeta Lacyr Schettino; tomada de posse em 18 de novembro de 2004. Dominava bem o português, francês, castelhano e latim; em grau regular, o inglês; e o grego, insuficiente.

Com relação à saúde física, sofreu reumatismo infectocontagioso por volta dos 8 anos; esta crise se repetiu pouco antes da entrada no noviciado. Foi submetido a três operações ao coração (1967, 1983 e 1998) com duas próteses biológicas (mitral e aórtica), vários processos de fibrilação, colocação de “pacemaker” em 03 de janeiro de 2007. Em 2004, teve AVC hemorrágico traumático (hemorragia cerebral), pneumonia e hepatite C. Se submetia a exames periódicos, vivia na dependência de remédios e mantinha acompanhamento médico constante, vindo a falecer à meia-noite e cinco minutos do dia 8 de setembro de 2008 de insuficiência múltipla dos órgãos.

 No dia 08 de setembro de 2008, Festa de Nossa Senhora da Luz, em Belo Horizonte, na Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, foi celebrada Missa de Corpo Presente, presidida pelo Cardeal D. Serafim Fernandes de Araújo e concelebrada por D. Aloísio Jorge Pena Vitral, Bispo Auxiliar, vários sacerdotes diocesanos e Missionários Claretianos.

Durante a celebração usaram a palavra: D. Serafim, D. Aloísio, Pe. Oswair Chiozini, Superior Provincial do Missionários Claretianos, um representante do Regional dos Religiosos de Minas Gerais, uma senhora falou em nome de uma associação de ajuda aos necessitados onde o Pe. João B. Megale esteve muito presente e no cemitério, também usou a palavra um representante da Academia Mineira de Letras.

Pin It on Pinterest

Share This