ABRIL

14

1846 Chega a Espluga de Francolí (Tarragona) e, de imediato, dá começo à uma missão e aos Exercícios Espirituais ao clero.

1847 Nestes dias, aparece um suposto irmão de Claret, enganando toda a gente. Claret escreve, indignado, a um amigo e pede-lhe que faça os possíveis para que prendam o impostor.

1870 Numa carta ao P. Dionísio González, manifesta a sua satisfação com o andamento do Concílio Vaticano I: Até agora, os trabalhos estão a decorrer muito bem.

NOVA EXPANSÃO (1922-1934)

PELA PRIMEIRA VEZ, EM EL SALVADOR

Todos os catálogos registam a chegada dos missionários a El Salvador, no ano de 1955. Mas devemos ter em conta que alguns claretianos, expulsos do México durante a perseguição de Plutarco E. Calles, já haviam chegado a El Salvador, juntamente com o P. Lino Hernando, que abandonara o Seminário de São Domingos, na República Dominicana, em 1930, para tomar conta do Seminário de São Miguel. Em 1926, os claretianos receberam um convite do bispo de São Miguel para fundarem na sua diocese, assumindo a direção do Seminário Diocesano. Foram muitas as dificuldades encontradas pelos missionários que provinham da Província do México, sobretudo de cariz material. Por fim, em 1936, foi necessário abandonar de vez esta posição, a fim de consolidar a nossa presença em Cuba. Como caso interessante, é oportuno informar que um dos seminaristas, que esteve sob a nossa orientação naqueles anos, foi precisamente o futuro Bispo mártir de El Salvador, D. Óscar A. Romero, canonizado a 14 de outubro de 2018, pelo Papa Francisco.

AGAPITO GÓMEZ, CMF

Pajem de Claret (1845-1901)

Rocamundo (Santander, España). O Irmão Agapito entrou para a Congregação, em 1865. Viveu, como criado, na casa do P. Claret, em Madrid, e foi destinado depois a Argel, Alfaro e, finalmente, ao México. Distinguiu-se, em toda parte, pela sua simplicidade, respeito aos Superiores e amor à Congregação. Faleceu, com fama de santidade, no México, a 14 de abril. No início da revolução de 1868, o Pe. Claret, que o tinha em alta estima, atribuiu-lhe vários encargos e confidenciou-lhe alguns segredos; daí a divertida altercação, havida entre ele e a Madre carmelita Ana Maria de São Luís, por se recusar a abrir uma pequena gaveta do quarto do P. Claret. Quando esta foi aberta, tinha dentro dois sacos. Num deles, havia uma inscrição que dizia: Isto é para os pobres ou para a aquisição de livros bons; no outro, não constava qualquer indicação. Ambos ficaram encarregados de salvar o espólio que Claret deixara, na casa de Madrid.

Biografia

O MINISTÉRIO DA PALAVRA

palavra divina arrancou do nada todas as coisas. A divina palavra de Jesus Cristo tudo restaurou. Jesus Cristo ordenou aos Apóstolos: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a todas as criaturas. A sociedade está a degradar-se, porque retirou à Igreja a palavra, a palavra da vida, a palavra de Deus. As pessoas sentem-se doentes e famintas, desde que deixaram de receber o pão diário da palavra de Deus. O esforço feito em prol da salvação resultará totalmente inútil, se não se restaurar, em toda a sua plenitude, a poderosa palavra católica (Aut 450).

O ministério da palavra, que é, simultaneamente, o mais excelso e o mais vitorioso de todos, porque por ele foi conquistada a terra inteira, converteu-se, hoje e em toda a parte, de ministério de salvação em ministério abominável de ruína. E assim como nada nem ninguém foi capaz de obstar ao seu triunfo nos tempos apostólicos, assim também nada nem ninguém poderá impedir hoje os seus danos, a não ser a pregação dos sacerdotes e a difusão de bons livros e de outros escritos salutares e santos (Aut 452).

PARA REFLEXÃO PESSOAL

 

As frases acima referidas, que originalmente eram do filósofo católico, Donoso Cortés, são adotadas por Claret, para sublinhar a importância do ministério da Palavra.

  • Que papel tem a Palavra de Deus, na tua vida pessoal e apostólica?
  • Que meios utilizas para transmitir a Palavra de Deus ao povo?
  • Ouve com atenção, hoje, alguns noticiários da rádio ou da televisão. Verifica o que torna a palavra do locutor credível e inteligível. Podes aprender algo dele, para a tua vida missionária?

“Sentia-me bem com a roupa que trazia no corpo e com a alimentação que me davam” (Aut 359).

Pin It on Pinterest

Share This